domingo, 17 de maio de 2015

A Espera



Na espera de um tempo impreciso,
Uma espera infinita,
Diamantes se quebram
Em centenas de pequenas partes.

Um jardim esquecido
Perde sua beleza a cada dia.
O céu azul de outrora
Vai desbotando e perdendo a cor.

Mais uma caixa repleta
De riquezas é fechada.
Mais um infinito é perdido,
Mais uma estrela é apagada.

A cada segundo, o tempo leva
Consigo milhares de destinos,
E cada dia a mais
Se torna um dia a menos.

O encanto cede espaço ao desânimo.
A fantasia dá lugar à ilusão.
A fé se aproxima do medo.
A esperança se transforma em vazio.

Na espera do amanhã, hoje,
Cria-se uma utopia, real,
E o que é natural
Acontece pela pressa.

Espera-se mais do menos,
Um sorriso, um coração,
O raro, o único.

Espera-se o inesperado.

Dodo.

2 comentários: