sábado, 1 de novembro de 2014

Dois Mundos



São como dois mundos separados.

O mundo dos sonhos e o mundo real.
O mundo da imaginação e o mundo palpável.
O mundo da inspiração e o mundo dos fatos.
O mundo da novidade e o mundo da mesmice.

No mundo dos sonhos, não existe tristeza, nem decepção.
Não existe desconfiança, julgamentos, nem pré-conceitos.
Você é julgado pelos sorrisos que dá, pelo seu coração, pelas suas palavras.
Não existem injustiças.
Você é o que é. Sem máscaras, sem farsas.
Você pode ser o que sonha. Trabalha com o que gosta.
Existe o que é verdadeiro.
Tudo é possível, e todo esforço é recompensado.
Você não se sente sozinho.

No mundo real, não existem sorrisos.
Existem necessidades que precisam ser saciadas.
Existe adoração ao fútil, ao idiota.
Existem muitos contatos, mas nenhum amigo.
Existe interesse, e somente isso.
O mundo é movido pelo sexo, e só.
Só o que tem valor é o que traz dinheiro.
Sua arte, seu trabalho, sua música, seu cargo, só vai ter valor aos outros se você ganhar bem. Caso contrário, você será apenas mais um.
Você é julgado pela sua aparência. Você é obrigado a nascer bonito fisicamente, caso contrário, será jogado para escanteio.
Os corações nunca são escutados.
Não existe amor. Existe carência e necessidade de estar acompanhado para não ficar para trás.
Você se sente, inevitavelmente, sozinho.

Faltam cada vez mais motivos para continuar no mundo real.



Dodo.

21 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu prefiro o mundo das sonhos......\o/
    Uma magia de poema, quanta maravilha..s2

    Tenha um ótimo Domingo Poeta Admiravel..

    Grande BeeeeeeeejoO..darlene alves...o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu bem sei que você prefere o mundo dos sonhos. rs.
      Eu também tenho uma grande queda por ele.

      Às vezes me pego muito mais para o lado de lá do que o de cá.

      Abraços.

      Excluir
  3. Olá Dodo,

    Você distinguiu muito bem esses dois mundos.Contudo, acredito que nos motivamos quando entrelaçamos esses dois mundo, pois o mundo dos sonhos alimenta nossa esperança ao convivermos no mundo real, não tão bonito quanto aquele, mas nem tão desolador, a meu ver. Há sempre pessoas e coisas boas a serem descobertas no mundo real, bastando que lhe emprestemos um novo foco.
    Muito lindo o seu texto.

    Ótimo domingo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por tempos vivi no mundo dos sonhos, esperando algo real e bom aparecer.
      Ultimamente estou vivendo um sonho acordado, e suas palavras fizeram real sentido, mas o mundo real ainda apresenta algumas coisas que me fazem recorrer ao mundo dos sonhos.

      Abraços.

      Excluir
  4. Dodo, é a Camila.. eu tinha um blogo.. o Que som é esse.. perdi a senha e to com esse novo.. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não perca mais a senha!!!! Já vou seguir,

      Até mais.

      Excluir
  5. Tenho um novo link http://mudodeumaprincesa.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Olá...no mundo dos sonhos vamos além , ultrapassando a si mesmo, e quando acordamos , de volta ao mundo real, temos a chance de desvelar os significados implícito e aprender um pouco mais sobre quem somos.
    Boa semana,abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.
      Quem sabe se não é lá que se encontra nosso verdadeiro ser, nossa verdadeira Verdade.

      Abraços.

      Excluir
  7. O segredo talvez seja conseguir equilibrar esses dois mundos.
    (não sei como não comentei a publicação da primeira vez que cá vim, desculpa).

    r: É ótimo, ainda para mais quando sabemos que a outra pessoa não nos prende.

    Tudo aquilo que fazemos tem consequências, mas nem sempre são aquelas que estamos à espera e isso não significa que não se tenha feito tudo direito, digamos assim. Daí que acredite na sorte e no azar, mas seremos sempre responsáveis pelo que fazemos.

    Obrigada e igualmente!
    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  8. O correto é realmente conciliar os dois mundos, mas como é difícil... rs.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. OI DODO!
    APESAR DE TUA MAESTRIA NO ENTRELAÇAMENTO DESTES DOIS MUNDOS, AINDA PREFIRO O REAL, PORQUE, COMO SOU UMA ETERNA OTIMISTA, SEMPRE VOU ACHAR QUE TUDO, EM ALGUM MOMENTO, POSSA MUDAR.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opinião.

      Abraços!
      O mais concreto se encontra no mundo real mesmo.

      Excluir
  10. Caramba que texto bonito e sincero, eu estou numa fase que preciso começar a encarar o mundo real e digo com toda certeza que prefiro o mundo dos sonhos
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entrei nessa fase há um tempo atrás e posso lhe dizer que ela ainda não passou.
      Sinto que pertenço ao mundo dos sonhos, enquanto travo uma batalha quase que eterna contra o real, que quer me puxar para dentro dele quase que continuamente.

      Abraços;

      Excluir
  11. Dois mundos separados mas conectados.
    O mundo dos sonhos e da imaginação pode fazer progredir o mundo real, ou pelo menos, ajudar-nos a caminhar. A imaginação pode trazer consigo inspiração suficiente, não para alterar muitos factos, mas para possibilitar a tentativa de encontrar soluções que possam alterar determinados factos.
    Se todos sonhassemos mais, e não fossemos absorvidos pela futilidade da sociedade, acredito que o mundo real pudesse ser um pouco diferente.
    A questão está sempre em ser verdadeiro, e embora seja difícil, acho que é possível agir de acordo com a nossa própria maneira de ser, sem castração de qualquer espécie.
    Eu levei muitos anos a fazer o que os outros esperavam de mim, até que me libertei. Perdi "amizades", que afinal não o eram, o meu círculo de amigos tornou-se muito restrito, mas está muito melhor como está. No fundo, a maioria das pessoas não aguente, e tem medo de estar só, por isso não diz o que sente e o que pensa.
    É verdade que o que interessa ´e o estatuto, e o estatuto, a chamada valorização social, só se obtém através do dinheiro; aí já não interessa a cor da pele, o credo religioso, até a aparência física deixa de ser algo de tão categórico, quando cheira a dinheiro!
    Eu penso que é necessário nadar contra a corrente. É difícil e desgastante, mas no fim compensa!
    Um bela e acutilante, reflexão, Dodo.
    Gostei muito!
    xx

    ResponderExcluir
  12. Muito reflexivo foi seu comentário.
    Você parece ter aprendido alguns sentidos básicos da vida.
    Parabéns.

    Obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir