domingo, 31 de julho de 2011

Vejo Tudo Passando




Vejo tudo passando,
Meus olhos sentem o descaso,
Meu coração?
Ele sofre com o acaso.

O que estava perto,
Hoje parece tão distante,
Tão longe, tão esnobe,
Tão impossível, tão adiante.

Em frente se vai a vida,
Deixando rastros de desejos,
Puros, perfeitos,
Únicos, belos,
Meros momentos de perdição,
Procurei antes de saber,
E ainda procuro a razão,
Talvez se não o fizesse,
Meu coração inteiro ainda estivesse.

Ao me devolver,
Tudo o que eu quis lhe dar,
Você esqueceu apenas de uma coisa, então,
Você esqueceu de devolver meu coração.

Não sei como você não vê
É tão simples notar,
Esta tristeza que bate em mim,
Que vive no meu olhar.

Vejo tudo passando,
E o sentido se esvaindo,
Vou andando, andando para longe de você,
Vou indo, indo....

Onde chegarei?
Eis aí uma pergunta a ser respondida,
Já sonhei em chegar até você,
Mas esse caminho não foi só de ida.

- Acalme-se coração,
Faça esse rosto rir novamente,
Acalme-se coração,
Mude esse olhar abatido,
Acalme-se coração,
eu vejo tudo passando,
Tudo ilusão.

Talvez para você,
Seja melhor ficar em silêncio,
Do que aceitar que gosto de ti.

A diferença,
É que quando você cair,
Todos estes que estão ao teu redor irão rir,
Menos eu.

A diferença,
É que são poucas às vezes em que nos é,
Oferecida uma chance de sermos felizes,
De deixarmos nossas marcas,
Esquecer as cicatrizes.

A diferença,
É que vejo tudo passando,
Menos o que sinto por você,
Isso vai comigo ficando,
E enquanto der vou,
Isso em meu peito carregando.
Vai doendo,
Vou me magoando,
Mas dizem que a luz nasce para todos,
E com isso vou esperando.

Enquanto isso,
Vejo tudo passando.

Dodo.

Vamos Fingir




Vamos fingir que está tudo bem,
Vamos fingir que eu não te quero,
Vamos fingir que estou bem,
Vamos fingir que você eu não mais espero.

Vamos fingir que eu não soube da verdade,
Que não existem manipulações obscuras,
Travando seu coração e o meu de se encontrarem,
Que eu não me sinta andando por ruas escuras.

Vamos fingir que eu não chorei,
Vamos fingir que meu coração não sangrou,
Vamos fingir que tudo é um começo,
Vamos fingir que sua atitude não me magoou.

Vamos fingir que somos adultos,
Em um mundo que só quer diversão,
Vamos fingir que não somos crianças,
Que não temos mais imaginação.

Vamos fingir nossos sorrisos,
Porque todos fazem isto,
Vamos fingir que não somos apunhalados,
E que por causa disso eu desisto.

Vamos fingir que a tristeza de uma pessoa,
Não traz felicidade a quatro ou cinco,
Se este é o preço,
Então acho que eu mereço.

Vamos fingir que o céu continua azul,
Vamos fingir que não é o fim,
Vamos fingir que tudo saiu conforme o planejado,
Principalmente para mim.

Vamos fingir, vamos!
Não custa nada, mesmo sendo errado,
O mundo é falso e destrói o que é verdadeiro,
Vamos fingir em todos nossos momentos derradeiros,
Vamos fingir que somos grandes, inabaláveis,
Vamos fingir, é tão belo.

Vamos fingir que eu não caí,
Vamos fingir que eu não me machuquei,
Vamos fingir que todos cuidam mesmo de mim,
Vamos fingir que eu já cicatrizei.

Dodo.

Um Velho Conto Sobre Anjos




Uma vez eu escutei um conto que dizia que algumas pessoas eram anjos disfarçados, vivendo no meio de nós.
Vinham para cá com algumas missões, das quais às vezes nem eles mesmos sabiam.
E logo iam embora, deixando todos aqueles que tiveram seus corações tocados por eles muito tristes.
Dizia o conto que os humanos não conseguiam entender porque aqueles a quem tanto gostavam haviam ido embora dessa forma, tão cedo e em tão pouco tempo.
E assim viviam, com essas dúvidas e a tristeza.
Mas o tempo certo vinha, e os humanos também iam embora para outro lugar. Eles chamavam isso de fim, mas não sabiam que este final levava a um começo.
Lá eles encontravam aqueles a quem não sabiam que eram anjos.
E tudo fazia sentido.

No começo eu pensei que este conto era sobre vida e morte, mas agora eu consigo ver exatamente do que se trata.
Se trata de pessoas. De pessoas especiais que passam por nossas vidas. Pessoas que nos preenchem, nos confortam, que nos fazem sentir especial, que nos fazem ver que temos um lugar ao qual pertencemos, pessoas que nos fazem sentir aquele friozinho na barriga, na espinha, de tanta ansiedade em vê-la, que nos fazem rir com as coisas mais simples e mais bobas, que nos fazem chorar de emoção, que nos dão o valor que merecemos, não, que nos valorizam acima do que realmente valemos.
Essas pessoas não são pessoas, são anjos.
Simples mortais nunca teriam este poder. Somente anjos podem fazer isso conosco.

Mas este é só um conto bobo de um bobo escritor, como sempre, não é mesmo?

Dodo.

Tocar as Estrelas (Texto)




O homem perdeu a coragem de tocar as estrelas. Estamos muito acomodados em nossas realizações. Buscamos sempre o mais. Mas sempre o mais do menos.

Todos os dias me pergunto se as pessoas ainda olham para os céus ao invés da televisão. Será que perdemos a vontade de olhar para os céus, e saber que nosso futuro está lá? Ou os filminhos de espaçonave substituíram nossa imaginação.

Temos medo de conquistar, sempre achamos que o que possuímos é ótimo por si só. E isso basta.

Olhamos para nossos sonhos como olhamos para as estrelas. Distantes e silenciosas.

NÓS PODEMOS TOCAR AS ESTRELAS!!!!!

Não tenhamos medo!!!

Nós podemos!!!

Vamos tocá-las! O que estamos esperando para realizar todos os nossos sonhos??? O que estamos esperando para nos tornarmos completos? O céu desabar e as estrelas caírem sobre nós? Nossos sonhos se realizarem sozinhos? Por pura obra do destino??

Se isso acontecer, boa sorte. Mas saibamos que a sorte não existe, e se existe geralmente ela não escolhe aqueles que lutam. Ah...e a sorte não é nem um pouco confiável. Em um momento ela está com alguém, e logo some. A sorte é como um meteoro. Aparece de milênios em milênios, e raramente não estraga aquilo que toca.

O fato de discordar em tocar o céu é a pura descrença criada e forçada pelo mundo. O mundo que nos manter aqui embaixo, sendo apenas mais uma peça de seu regime e sistema. Apenas mais alguns seres que devem fazer faculdade para melhor servir à sobrevivência dele. Faculdades já escolhidas de antemão. Somos como peças de xadrez e não podemos parar de jogar enquanto houverem jogadores nos controlando. E se quebrarmos, sempre surgirá alguém mais novo, com mais conhecimento e nos substituirá.
Talvez assim como as estrelas. Mas no céu, cada uma possui seu brilho. E nenhuma brilha igualmente à outra. Cada uma possui o seu brilho, e juntas formam o céu mais belo e único.

Quem dera brilhássemos aqui embaixo também como brilham elas lá em cima.

Quem dera acreditássemos que podemos tocar o céu.

Ah se acreditassem que podemos tocar as estrelas......

Dodo.

Tocar as Estrelas




“Se eu te dissesse que podemos tocar as estrelas, você acreditaria em mim?

Se eu subisse até o mais alto céu, e te trouxesse uma estrela, brilhando, toda reluzente em minha mão, e lhe entregasse, você iria sorrir para mim?

Eu iria realizar seu sonho?

E se eu te dissesse que meu sonho é ter você? Se eu te dissesse que nenhuma estrela que eu tenha visto é mais bela que você? Você acreditaria em mim?

E se eu te dissesse que posso tocar as estrelas?

Você deixaria eu tocar seu coração?”

Dodo.

sábado, 23 de julho de 2011

Sonho por Detrás do Horizonte




Sonho por detrás do horizonte,
Um lugar escondido em seu coração,
Com o sol que põe tarde,
Mas mesmo assim faz surgir uma bela canção.

Um dia desses ou outro qualquer,
Em que uma lembrança de mim baterá,
Em seu peito de forma leve,
E é aí que você perceberá.

Que eu sempre estive aqui por você,
Que em nenhum momento eu deixei de acreditar,
Que eu ainda estou aqui,
Pronto para sua vida transformar,
Que eu continuei aqui parado,
Apenas a te esperar.

Algumas lágrimas por ti eu derramei,
Foi difícil meu rosto secar,
Mas não há mágoa em meu coração,
Apenas vontade de contigo estar.

Não sou orgulhoso,
O que é bom para mim sei priorizar,
Prometo esquecer toda a dor,
Se você de coração me aceitar,
Pois já disse que o amor tudo há de curar.

Dodo.

Sentido de Vida




Nesse sentido de vida,
Quase acabado,
Forte âmago da destruição,
Querendo ser amado.

Quantas vezes o ser humano,
Não se pega parado, pensando,
Sobre tudo ao seu redor,
A vida que vai passando,
Sobre que não deveria se alterar,
E sobre o que sempre está mudando.

Lembra-se daquele seu amigo,
De infância que tanto gostavas,
Hoje ele tem sua própria vida,
Sumiu, o tempo o levaras.

Duvide, com a força,
Da sua alma que está sempre a clamar,
Pode ter certeza,
De você ele não mais há de lembrar.

São tantas veredas, para viver,
Caminhos para com todo o coração sentir,
Uma vida inteira, um dia, um momento,
E tudo o que nos sobra é partir.

Um sentido de vida,
Uma febril felicidade à abraçar,
Uma ideologia doente,
Uma vida inteira à aproveitar.

Quem nunca se perdeu em palavras,
Quem nunca ou jamais se utilizou,
De máscaras para se enfeitar,
Mas teve de tirá-las quando o baile acabou?

No meio deste caminho,
Vivenciado de maneira tardia,
Nunca se está sozinho,
Mas quase nunca é de dia.

Vemos-nos sempre andando,
Mesmo quando estamos parados,
E quando mais precisamos dizer,
São nesses momentos que ficamos calados.


Porque o silêncio, embora pequeno,
Sempre nos mostra o quão estamos errados.

E é nesse sentido,
Que o mundo pede, exclama e grita seu nome,
Amanhã, hoje e ontem:

- “Siga-me, sejas tu,
Mulher ou homem.

Largue seu sorriso,
Isso, este mesmo, de felicidade infantil,
Para onde você vai,
Isso é considerado imbecil

Abandone seus gostos,
Ou nunca abrirás nenhuma das minhas portas,
Porque todas essas suas besteiras,
Eu as considero idiotas.

Jogues meu jogo,
Tenho certeza que se darás bem,
Basta correr atrás das minhas riquezas,
Atropele qualquer um, não importa quem.

Para chegar ao meu topo,
Não é muito complicado,
Basta acreditar em mim,
E nunca serás um atrasado.

Não confie em ninguém,
Mas deixe-se confiar,
Assim será mais fácil,
Todos estes tolos dominar.

Meus reis estão caindo,
Não consegues ver???
Não enxergas que o meu trono,
Tu podes ter???

Só estou esperando que subas até aqui,
Para minha coroa em sua cabeça poder colocar,
Mas lembre-se, que um dia,
De volta eu a irei tomar,
Para que no seu substituto,
Eu a possa repousar.

Não fique triste, no meio do caminho,
Tu terás o que sempre quis,
Carro, dinheiro, pessoas de beleza apenas exterior,
Isso mesmo, o que sempre quis,
As melhores roupas, status, poder,
Isso mesmo, o que sempre quis,
Dará a volta por cima,
Eu lhe digo, acredite, o que sempre quis,
Todos babando por você,
Não é isso que te faz feliz?

Não lhe peço nada,
Exatamente nada em troca,
Apenas duas coisas,
A segunda para depois, e a primeira para agora

Primeiro, confie em mim,
Dê-me sua mão,
E segundo, só o que lhe peço,
É o seu coração.

Não se assuste novamente,
Ao apertar minha mão,
Seu coração não mais é teu,
Se não me deres agora,
Em pouco tempo notarás que o perdeu.”-

É nesse sentido de vida,
O qual com atenção devemos olhar,
Não devemos perder a chance,
Do que é verdadeiro cultivar,
Nem o que nos faz feliz,
Simplesmente abandonar,
Por variados motivos,
Que é melhor nem comentar,
Não importa com que idade estejas,
Sejas sempre como uma criança a brincar,
Desligue-se do material,
Do que o mundo está a lhe obrigar.

Obrigue-se sempre a com,
Os olhos do coração olhar,
Para que sempre a mais pura beleza,
Possas humildemente notar,
Nunca, e jamais diga,
Que é tarde demais para mudar,
Que já passou do tempo,
Para novamente começar,
Para às boas veredas,
Retornar.
Nunca se esqueça de,
Perdoar,
E dobre seus esforços,
Para nunca outro coração machucar,
E se assim o fizer,
Corra logo para se desculpar.

Não tenha medo de chorar,
E enxugue o máximo delas,
Das que pessoas que ama,
Não deixe uma pessoa de quem gostas,
De prantos e tristeza se afundar,
Lembre-se que é através das lágrimas,
Que a alma costuma se lavar,
Mas toda pessoa, por mais dura que seja,
Precisa de um ombro para se encostar.

Nesse sentido de vida,
De tanto que fizeres,
No tanto que acreditou,
O muito que sonhou,
As tantas vezes em que se machucou,
As milhões de vezes em que amou,
Verás que nenhum sentido de vida,
Encontrou.
E que nem por isso,
Triste ficou.

Porque de tudo o que fizestes,
Em nada se arrependeu,
Não precisas de um sentido para a sua vida,
Você a VIVEU.

Dodo.





Ordem do Saber




Diário

17/07/2011

A censura acompanha a sociedade, ou a sociedade acompanha a censura?

A censura moral, mental e sentimental do ser humano está em constante mudança e de certa forma isso é um pouco assustador.

Convenhamos saber do primeiro beijo no cinema, das tantas pessoas que taparam seus olhos naquele momento, do quão escandaloso foi para aquela época, do quanto às pessoas ficaram chocadas ao ver aquela cena.

Pesquisemos no passado, quantas vezes os casais se beijavam no passado? Quantas vezes, em público eles se abraçavam ou davam amassos? Ou o quanto era vergonhoso simplesmente pensar em sexo nas eras douradas?

O que aconteceu com nossa sociedade e porque cada vez está ficando tudo mais explícito?

É fato que, por dedução, algo que se é mostrado uma vez como escandaloso, em vista de ser proibido, assim como tudo para o ser humano, começa a ser desejado.

A sede do desconhecido move a mente e muitas vezes o coração de todos nós. Por isso nos sentimos seduzidos a pisar na lua. A escalar a montanha mais alta. A quebrar velhos paradigmas.

Pensemos um pouco mais no passado, e o quão assustador era para um casal simplesmente andar de mãos dadas na rua. Pensemos com clareza.

Apenas...andar....de mãos dadas....na rua........

Acreditava-se muito mais na magia, no sublime, no irreal, no platônico, no céu de um sentimento.

O que nos leva a crer que hoje estamos banalizados ao comum. Perdemos um pouco da mais bela arte de fazer magia sobre tudo e a tudo elevar a um patamar maior.

Mas há um talvez, que traz consigo certo apego ao fim de uma utopia.

O que é desconhecido, por certo tempo é mágico.

O fato de nossos avós, e até mesmo pais sentirem-se mágicos em apenas segurar a mão da pessoa amada, de querer fazer canções, de sentir na pele a paixão seria, segundo a objetividade do presente, apenas o fato de que isso era inacessível àquela época e presente àquele tempo.

É como beber a melhor bebida. Você a bebe uma vez, duas, três. Se beber sempre, logo você se acostuma, e aquela magia, do primeiro gole, da surpresa, é perdido.

O ser humano, já segurou demais na mão daquele que ama. Segurou tanto, que isso se tornou comum.

O ser humano, já se vestiu demais de biquíni e sunga.Vestiu-se tanto que isso se tornou comum.

Antes era sexy mostrar as mãos. Logo as pessoas foram mostrando seus ombros, depois os braços. Aí surgiram as saias, surgiram as regatas. Estamos caminhando quase para a nudez completa.

Fui tolo em achar isso agora? Era tolo achar que uma novela passaria cenas de sexo na tv algum dia........

O ser humano já viu beijos demais nas ruas e no cinema. Beijou tanto que isso se tornou banal.

As novelas hoje têm de mostrar cenas de sexo, e os programas de tv tem de ter no mínimo 5 dançarinas semi-nuas. Isso antes era considerado depravado, obsceno, fora de contexto, desnecessário. Mas isso já foi mostrado demais. Se tornou comum, como tudo.

O amor já foi poetizado demais, já foi serenatado demais, já foi escrito demais, já foi filmado demais, já foi fabulado demais, já foi mostrado demais.

Hoje se tornou comum.

Antigamente, responder aos pais era impossível de acontecer. Os desrespeitamos tanto que isso se tornou comum. Somos até apoiados pela mídia....

Antes era impossível machucar alguém. Machucamos tanto que isso se tornou comum.

Só me preocupo com o rumo do que é inapropriado estar se tornando comum.

Pensemos sobre o que é inapropriado hoje...que no futuro se tornará comum.......

Assustador não?

Dodo.

Eu Estou Feliz




Eu estou feliz,
Embora não pareça,
A noite não passe e talvez,
Essa dor não desapareça.

Eu estou feliz.

Muito embora meus olhos,
Se mostrem caídos de tristeza,
E lá no fundo,
Minha vontade de lhe ter adormeça.

Eu estou feliz.

Mesmo eu vendo,
Os muros dos meus sonhos desabando,
A lua e as estrelas perdendo a cor,
O sonho que eu criei terminando.

Eu estou feliz.

Ainda que você,
Tenha pisado nas rosas do meu coração,
E isso tenha me ferido,
Me tenha feito cair ao chão.

Eu estou feliz.

Mesmo agora,
Com você nem me olhando mais,
Entristecendo meu coração,
Deixando tudo o que eu fiz por ti para trás.

Eu estou feliz.

Mesmo com o triste questionamento,
De que talvez você pense errado de mim,
Que você não veja a verdade,
Que as coisas não deveriam ser assim.

Eu estou feliz.

Ainda que tudo esteja parecendo perdido,
Sabendo que todo o meu esforço foi em vão,
Que você me rejeitou de maneira fria,
E que talvez eu nunca entenda seu não.

Eu estou feliz.

Eu estou feliz,
Porque eu soube que você está feliz.

Dodo.

Está tudo tão estranho.....




Hoje não vou postar nenhum dos meus textos....não sei, estou estranho e já não é de hoje....sei lá.

Mas a estranheza também é um estado do ambiente, então acho que devo me contentar.
Mas o contentar é um estado da mente, então acho que devo esperar.
Mas o esperar é um estado da imaginação, então acho que devo esquecer.
Mas o esquecer é um estado de falsa honraria, então acho que devo me orgulhar.
Mas o orgulho é um estado de arrogância, então acho que devo chorar.
Mas o chorar é um estado da alma, então acho que devo me conformar.
Mas o conformar é um estado da razão, então acho que devo sumir.
Mas o sumir é um estado inatingível, então acho que devo me mostrar.
Mas o mostrar é um estado de soberba, então acho que devo me distrair.
Mas o distrair é um estado de enganação do esquecimento, então acho que devo me superar.
Mas o superar é um estado físico, então acho que devo provar.
Mas o provar é um estado de esforço do ego, então acho que devo procurar.
Mas o procurar é um estado de desespero, então acho que devo enganar.
Mas o enganar é um estado de um falso eu, então acho que devo falar.
Mas o falar é um estado de comunicação, então acho que devo escrever.
Mas o escrever é um estado de escapismo, então acho que devo estudar.
Mas o estudar é um estado de ilusão, então acho que devo sonhar.
Mas o sonhar é um estado de submissão dos desejos, então acho que devo saber.
Mas o saber é um estado de racionalização do desnecessário e ao mesmo tempo do necessário, então acho que devo acabar.
Mas o acabar é um estado de início, então acho que devo começar.
Mas o começo é um estado final, então acho que devo sentir.
Mas o sentir é um estado verdadeiro, então acho que devo amar.

Mas o amar é um estado do coração.........

Está tudo tão estranho ultimamente e já não é de hoje...sei lá.

Dodo.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ordem do Saber




Diário

27/06/2011

Sempre queremos aquilo que não podemos ter.

Talvez este desejo insano que muitas vezes é confundido com ganância, venha de muito de nossos ancestrais e de tempos remotos de nossa espécie. Mas uma coisa é fato, sempre estamos atrás daquilo que não podemos ter.

Na pura concordância de que o ser humano é capaz de realizar tudo o que ele quer, desde que deseje do fundo de seu coração, e com a mesma intensidade o faça, não é correto, pois, afirmar de mesma maneira quando tal desejo envolver outra pessoa no processo, caminho ou o fim em si. Porque dessa forma estaremos entrando no limite do livre arbítrio alheio.

Mas creio que a liberdade alheia seja tema para outras discussões, em outras páginas não lidas em breve, talvez.

Seja pela vontade de conquista nômade que o ser humano desenvolveu, e que hoje se restringe aos seus próprios sonhos, ou simplesmente, mas mal justificada, pela vontade de sobreviver, como alguns tolos costumam dizer, o ser humano sempre anseia pelo que não tem. Nunca está satisfeito com o que já possui.

Ele sempre quer mais.

Tempos modernos de vida, sim, devem ser abolidos, pois sem o desejo de descobertas, a humanidade em si não evolui. Pelo menos não no estado em que nos encontramos. Mas o problema está na convicção de caminhos fechados por pura frustração de não conseguir alcançar aquilo que não se necessitava ter.

Busquemos nossa própria sobrevivência, e a sobrevivência de nossa própria auto satisfação. Mas a aceitação de que muitas vezes não precisamos de algo que tanto queremos, simplesmente para aumento de nossos próprios egos deve ser realizada enquanto ainda existe tempo.

E enquanto ainda existe tempo, de mesma forma, é importante começar a enxergar novos caminhos além dos horizontes já conhecidos. Além das fronteiras já andadas.

Muito do que vemos e consequentemente desejamos está ali pelo simples motivo de aumentar nosso ego. E aquela necessidade de aceitação pela parcela da sociedade que “adora” aquilo que nos trará tais benefícios logo mudará de alvo. A aceitação externa não pode definir totalmente a aceitação interna. Mas sim, esse ciclo tem de ser feito de forma contrária.

Por isso o desejo de ser belo, de ser famoso, de ter o carro mais novo, de ter a maior casa, de subir de cargo no trabalho, de ser rico. Não é pela sobrevivência, não é para ajudar os outros, não é para fazer justiça, mas simplesmente porque a sociedade adora quem possui isso. Simplesmente possuem outros olhos para eles. E todas as pessoas gostariam que a sociedade tivesse outros olhos para cada um. Quem não gosta de ser aceito, de ter status?

Mas o erro disso está nos valores. Alterando-se os já alterados valores de cada um de nós, mudaríamos a necessidade de nossos egos, mudaríamos nossos pensamentos, mudaríamos nossos desejos e mudaríamos o mundo.

O mais simples, é tão simples que é muito complicado.

Dodo.


Ordem do Saber




Diário

01/07/2011

É muito fácil falar de Deus, e sermos profetas de suas palavras.

Qualquer um pode falar de Deus. Mas quantos fazem sua vontade? Quantos agradecem a Ele em vivas vozes, mas possuem uma pequena semente de maldade em seus corações?

Osama Bin Laden falava de Deus.......

O fato de alguém falar de Deus não o torna bom. Deus é usado pelos humanos para justificar seus próprios projetos, o que é triste, pois Ele possui projetos para nós, e não o contrário.

Está se tornando cansativo ver as pessoas que mais se afastam de Deus através de seus atos, palavras e sentimentos usarem o nome Dele para demonstrarem estar salvos e serem “boas pessoas”.

O nome Deus é usado, e em cinco minutos após a mesma pessoa começa a fofocar sobre a vida alheia.

Ninguém é perfeito! Só Deus é bom. Claro, mas existe um limite para falsidade.

Existem erros que são cometidos por todos nós, sejam eles carnais, sentimentais, mentais, internos ou externos. Não somos perfeitos, pois ainda caminhamos neste jardim da vida, sendo podados pelo Jardineiro a cada dia. Mas há limites em usar o nome dele sem se esforçar para merecer isso.

Somos totais pecadores, eu me reconheço como o mais errôneo dos teus filhos, jamais estarei a ponto de sequer lhe convidar para entrar em minha morada, mas por teu amor, diga apenas uma palavra e serei salvo.

Sejamos sim, anunciadores de Tua Palavra, incansáveis, assim como foram seus apóstolos, pois a Palavra em si, não se contamina, não muda, independente de quem a proclame. Tua Palavra é Verdade e Vida, e assim será.

Mas é um terrível erro usar a religião para tentar-nos passar por aquilo que não somos. Tentar usar a Deus para demonstrar ou suplementar algo que não está nos planos Dele é um erro terrível.

Deus nos ama, mas o quanto estamos amando Ele? O quanto estamos deturpando Suas Palavras para nossos próprios fins? Para nossos próprios ganhos??

Pegamos trechos que se referem à uma salvação maior, algo divino. Uma salvação da alma e o estamos usando para dizer que Deus nos concede riquezas??? Riquezas materiais????

Deus nunca esteve vinculado ao dinheiro, mas sempre à vida em si.

É frustrante saber que, mesmo depois de tanto tempo, os doutores da lei ainda continuam entre nós. Mascarando uma salvação que somente Deus pode dar.

O que me conserva é saber que a Verdade existe. E que ela nunca morrerá. Nunca. Nada pode destruir a Verdade, pois ela em si é a verdade.

Dodo.

Palavras Soltas II (Conversa com meu coração)




“- Nunca mais vou te escutar.
- Você não conseguiria fazer isso.
- Não? Olhe onde você me levou.
- Onde você mais precisava estar.
- Não confio mais em você.
- Mas precisa.
- Como? Se eu não mais consigo controlar você?
- E desde quando você pôde ou deveria me controlar?
- Seria melhor que você ficasse calado. Nunca tivesse falado!
- Mas e todos aqueles sorrisos bobos que eu lhe proporcionava? Todas aquelas noites pensando nela, eu batendo forte, lhe dando aquele formigamento no peito....
- E de que adiantou tudo isso?
- Essa resposta não sou eu quem deve lhe dar. Eu fiz o que precisava, quando você precisava. Certas coisas você não pode controlar. E eu sou uma delas.
- Olha aqui....
- Não, você olha aqui. Por que traz toda essa mágoa até mim?
- A que você fez eu sentir?
- Por que me culpa das coisas ruins?
- Porque é por você que sorrio, mas é você o dono de minhas lágrimas.
- Ah...Dodo...cresça....
- Se eu crescer você irá diminuir.
- Eis aí mais uma escolha que eu não posso fazer por você.
- Não há o que discutir. Já tomei minha decisão.
- Nunca mais falar comigo?? Faça-me rir. Você pode fingir para si mesmo, mas nunca para mim. E quando você não consegue fingir para mim não conseguirá para si mesmo.
-......
- Você sabe que estou falando a verdade. Eu sempre estarei com você. Não há como me ignorar, e eu sei especialmente que você não irá conseguir me ignorar. Eu sou o dono de seus sonhos, o limiar entre os seus pensamentos e a sua realidade. É por minha causa que você vive. Você me segue mesmo que não perceba. O simples fato de me ignorar me dá força total sobre tudo que você é, pensa ou faz. Eu sou você meu caro, sou sua essência mais profunda. Sou seu irmão. Sou e serei sempre aquele que estará com você. Sou sua parte mais simples, sou irmã de sua alma, e sem mim a mesma morreria junto com você. Sou parte da força que o faz caminhar, sou a impulsão que o faz seguir em frente na estrada da vida. Sou sua percepção mais profunda. Quando você está alegre, sou eu a te acompanhar. Quando você chora, sou eu que estou saindo aos poucos pelos seus olhos. Não percebes que quando tu enxergas o mundo mais belo, é porque você está em paz comigo? Não notas que quando você me alimenta com coisas boas, eu transformo sua visão e tudo ao seu redor?
- Desculpe – Interrompi-o de maneira um pouco bruta mas com uma voz um pouco triste, pois embora decidido, sabia que ele estava certo -.....eu já disse que tomei minha decisão.

Fechei a porta.

Se ele continuou falando....sinceramente não sei.
Não sei se um dia irei escutá-lo novamente, mas de vez em quando, quando me distraio, escuto uma voz lá no fundo."

Dodo.


Palavras Soltas II



“Hoje eu preciso escrever um pouco da minha história.
Mas eu não estou conseguindo escrevê-la.
Escrevo sobre um futuro e sobre desejos que nunca se realizam.
Escrevo sobre uma pessoa que não faz parte da minha vida.
Escrevo sobre idéias que nunca passam de teoria.
Escrevo canções para que ela escute, mas eu sei que isso não acontece.
Escrevo sobre a vida, mas estou esquecendo de vivê-la.
Escrevo sobre a verdade em um mundo repleto de mentiras.
Minhas palavras se tornam mentiras em um mundo que destrói a verdade.
Escrevo sobre um mundo que não acolhe ninguém.
Escrevo sobre comportamentos que não se comportam.
E sobre sentimentos que temem em sumir.
Sobre pessoas que continuam a mentir, para si mesmas principalmente.
Escrevo sobre um olhar que nos dias atuais é imaginário, sobre fatos que se tornam contos, e contos que nunca se tornam fatos.
Escrevo sobre dias que estão mais distantes que o amanhã, mas bem menos improváveis de nascer do que o ontem.
Imagino o que vou escrever, e nunca sai o que penso.
E se penso em escrever, começo novamente a imaginar.
E este ciclo não tem fim.

Mas mesmo assim....

Acho que hoje irei escrever.
Provavelmente sobre você.”

Dodo.

Palavras Soltas II (Não Quero Mais Andar Por Essa Estrada)




“Eu não quero mais andar por esta estrada, eu não quero mais fingir estar andando atrás de um nada.
Não quero mais caminhar pela ilha da minha tristeza, nem lidar com este fato, não quero que este sentimento adormeça.
Não quero estar atrás de algo que não me pertence, algo longe, algo distante. Quero seguir em frente, andar por novos caminhos, seguir adiante.
Estou procurando ser eu mesmo e apenas eu, ando com as mãos nos bolsos, cabeça baixa, e uma pequena agonia em meu peito. Só queria que houvesse valor em tudo o que tenho feito.
Torço para que um dia isso pare de bater.
O que me entristece é saber:
Que tudo não passou de algo de minha mente, minha bela ilusão que tanto me deixava contente.
Pensei que estava acreditando em meu coração.
Doce paixão.
Já não sei mais em que acreditar.
Será que fui tolo em apenas lhe desejar?
E é nesta confusão que me encontro, vagando por aí.
É um pouco duro desacreditar do que a gente acredita como certo. Ainda mais com pessoas ao meu redor me dizendo, indiretamente, que eu deveria ter sido mais esperto.
Será que eu sonhei demais? Este seria o preço por querer ser algo a mais?
Realmente a confusão já tomou o lugar da minha cabeça, escuto vozes me dizendo que eu deveria esquecer. Que eu mesmo criei isso, que eu deveria por outros sentidos minha vida mover.
Dizem que inventei tudo. E é isso o que mais me dói. É isso que um pedaço de minha alma corrói.
Pois se for verdade, não passaria eu de apenas um bobo. Um tolo sonhador.
E este é o resultado de um não.
A dúvida que bate em meu coração, e que abate diretamente a alegria de minha feição.
Procuro por esta resposta, dentro de mim mesmo, em meu interior, mas nada encontro aqui além dessa fina dor.
Por isso continuo vagando, por esta estrada que parece não ter um fim, enquanto espero o tempo dar esta resposta para mim.
Minhas mãos ainda continuam no bolso, um leve frio bate em minha face, continuo olhando para o chão, mas voltei a sorrir, mesmo que de leve, pouco ainda, mas o suficiente para ver um pequeno raio de luz surgir.”

Dodo.

sábado, 9 de julho de 2011

Palavras Soltas II




“Me dê um refugio de esperança,
Sejas para mim o sol que nasce,
Em minha noite mais profunda,
Prove para mim que eu ainda posso acreditar,
Sejas para mim o que eu sempre esperei,
Roube do meu coração,
O meu maior orgulho,
Desfaça o nó que você mesma deu,
Disfarce a tristeza que já se encontra mascarada em mim,
Faça-me sorrir por você, para você e com você,
Já faz tempo que espero,
Não me faça mais esperar,
Por algo impossível,
Faça-me voltar ao meu sentido,
Faça valer o meu querer,
E eu lhe prometo,
A eternidade se fará presente agora,
Dentro do meu peito.

Ainda há um lugar aqui para você.”

Dodo.

Palavras Soltas II



“Por favor,
Me diga que ainda existe.
Que eu não estou louco,
Que este sentimento irá viver,
Em seu próprio tempo, e que nada irá temer.

Por favor, me diga que estamos pertos,
Mesmo estando longe.”

Dodo.

Palavras Soltas II




“Não deixei a paixão me arrastar,
Você me arrastou até o meu querer.

Não deixei a imaginação surgir,
Eu sempre imaginei estar com você.

Nunca quis ser diferente de todos,
Mas ninguém vai gostar de você como eu.

Nunca permiti me magoar,
Mas por você eu adoraria me machucar.

Tenho que ter algo seu comigo,
Não encare isso como castigo.

Jamais acreditei no destino,
Mas eu acredito no meu coração.

Eu gosto de você.”

Dodo.